Bem-estar animal: cuidados necessários com os pets durante o ano

Tempo de leitura: 3 min

Escrito por mateus
em junho 26, 2023

Cuidar do bem-estar animal exige a adoção de diversas medidas pelos tutores. Proporcionar uma alimentação saudável e equilibrada, levá-lo para vacinar contra doenças, fazer visitas regulares ao veterinário e sair para passear são algumas delas. Mas é necessário também estar atento ao conforto térmico do seu cão ou gato, prestando atenção nisso durante o ano todo.

Claro que ter um climatizador de ambiente ajuda bastante a garantir esse conforto. Mas afinal, como esse conforto térmico afeta a saúde do animal? E que atitudes podem ser tomadas para preservar o bem-estar dele? Entenda mais no texto abaixo.

O que é conforto térmico animal?

Para conseguir propor um bem-estar para o seu pet, o primeiro passo é entender o que é o conforto térmico animal. De uma maneira geral, ele consiste em garantir as condições adequadas de temperatura em determinado ambiente para que o animal se sinta confortável. Ou seja, esse espaço que ele convive não pode estar quente ou frio demais.

Cada animal tem a sua própria exigência de temperatura que se sente mais confortável. No caso de cães e gatos, por serem mamíferos, esse controle é mais fácil, pois eles conseguem regular a temperatura do organismo. No entanto, não podem ser deixados em situações extremas e também vale lembrar que cada raça tem necessidades únicas, já que o porte e as características físicas também impactam nesse conforto. Assim, vale uma conversa com o veterinário que acompanha seu pet para entender melhor a questão.

Qual a importância do conforto térmico?

Assim como os humanos sentem calor ou frio em certas situações, os pets também podem sentir desconfortos relacionados ao ambiente e ao clima. No caso da temperatura, quando ela está com valores muito altos ou baixos, o pleno funcionamento do organismo do pet é afetado.

A ausência do conforto térmico adequado pode atingir o animal de diversas maneiras. Uma delas é a oxigenação, que está ligada à capacidade de carregar os nutrientes pelas vias sanguíneas e levá-los até as células, realizando as trocas gasosas. Quando se encontra em um ambiente muito quente, a respiração do animal torna-se mais rápida e essa oxigenação fica insuficiente. Já em locais muito frios, há o risco dele ter algum problema respiratório por causa da temperatura.

Há também uma questão de estresse causada pelo desconforto térmico. Isso prejudica a sua saúde e, se não for corrigido, é uma questão que pode comprometer diversas funções corporais. A longo prazo, a saúde, o desempenho e o bem-estar do animal são prejudicados. 

Como reduzir o desconforto térmico?

Os cuidados em relação ao conforto térmico, claro, vão depender da estação do ano, já que cada uma demanda cuidados específicos. Veja o que pode ser feito.

Cuidados no verão

Durante o verão, é importante sempre checar se seu animal aparenta estar desconfortável e ofegante. O calor excessivo dessa época do ano pode fazer muito mal para ele, portanto, é importante adotar hábitos que amenizem as altas temperaturas. A chave para isso é a hidratação, certificando-se que sempre há água fresca para ele no pote de água. Você pode até adicionar um cubo de gelo no pote para deixá-la mais refrescante.

Procure deixar que o seu animal fique na sombra ou em ambientes que sejam bem ventilados, com as janelas e portas abertas. Evite sair nos horários mais quentes, entre 10h e 17h e, ao estar na rua, opte sempre em caminhar com ele pela sombra, evitando o asfalto quente. Você também pode aumentar a frequência de banhos, algo que pode ser bem divertido para ele.

Cuidados no inverno

Já o frio requer outros cuidados. A frequência dos banhos, por exemplo, pode ser reduzida. Evite realizar passeios noturnos, quando as temperaturas estão mais baixas, e caso o seu animal demonstre estar desconfortável, você pode colocar um agasalho nele.

Coloque mantas e cobertores na caminha dele para que ele se sinta quentinho e confortável ao ir dormir. No canto que ele repousa, procure colocar um “chão falso” para evitar o contato com o piso frio, sendo que para isso, pode-se usar papel bolha, palha ou até madeira. Inclusive, mude o canto dele para um local fechado e que não tenha corrente de ar.

Você vai gostar também:

JUNTE-SE Á NOSSA LISTA DE SUBSCRITORES

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade